9.9.14

O Carlinhos pedia esmola no sinal do Derby. Ele olhava para mim com tanto amor. Os olhinhos brilhavam. Um dia eu 

De onde você é? 
A moça sabe a ponte? 

Fiquei sem fala. Fechei a janela e pisei no acelerador. Hoje, é zelador do prédio. Um homem que dá bom dia boa tarde boa noite. Meus filhos adoram o Carlinhos. Ele troca lâmpada, ajeita cano e às vezes até dorme no apartamento.

(Cleyton Cabral)
Coloquei apenas algumas coisas na mochila: uma colônia, uma foto das crianças, uma calcinha. Não deixei bilhete. Na rodoviária

- Moço, qual o próximo que sai?
- Bodocó.
- Me veja uma.

As imagens pela janela do ônibus, quadros pintados com lágrimas.

(Cleyton Cabral)