10.6.14

Um banquinho, um microfone, uma voz, um carisma de outro planeta. Mas ela estava ali, na descida da escada rolante do metrô. Estación Pasteur. Entre uma nota e outra, um sorriso-afago para desconhecidos de todas as idades. Uma criança colocou uma cédula em sua caixinha. Ela pediu um beijo. E a vida segue sendo música até a próxima estação.

Buenos Aires, 2013.

Nenhum comentário: