9.2.12

Repeat

Ela mora no vigésimo oitavo. Ele, décimo quarto. Metade. Ele sai de meia-noite para a balada. Ela, meio-dia para a academia. Metade. Ele é inteiro. Ela, metade apaixonada por ele. No iPod, Every Breath You Take, do The Police, no repeat. Cada suspiro dele. Cada movimento. Cada elo. Cada passo. Ela observava tudo e anotava num caderno vermelho. A cor dos olhos, a quantidade de sinais nas costas, o perfume, o livro que carregava no elevador: Contos de amor rasgados.

7 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

Adoro seus trechos, seus pedaços.
Um dia a gente te costura.

Alberes Dantas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elton Rodrigues disse...

Muito bom!! Incrível sua capacidade de condensar em poucas linhas tanto conteúdo: ações, sentimentos, vida. Parabéns!

Eduardo Araújo disse...

lindo, realmente, lindo.

Renan Cabral disse...

Repeat! Escreva mais!

Sentimentalidades-Todas disse...

quem sabe meio do nada não é começo de tudo?
gostei das mil possibilidades.
Abraços
Mônica

Eduardo Araújo disse...

Lindo lindo lindo. esse é daqueles que merecem livro.