31.10.11

Coronhada

Penso que sim. Que se você esquecer o espelho retrovisor nossos olhos entrarão em colisão a 200 km/h. O amor é um acidente em potencial. Quando seus olhos esbarram em outros olhos você já aceita a morte como companhia. É um velar infinito. Pequenos delírios: mulher sacode com violência o carro, mas o bebê não acorda. O marido aponta o revólver em sua direção. Na direção de quem? O amor é um estado de febre permanente. Penso que sim. Que se você encostar seus dedos nos meus, na sala do cinema, passará um filme das nossas vidas na grande tela. E quando subirem os créditos teremos a certeza de que chegou ao fim. Uma nota: o amor é uma arma. Com ou sem balas.