25.4.11

Amor com mais de 4 letras

Vivi entra vestindo uma roupa básica. Um coração de pelúcia preso com elástico na altura do peito. Pesca o olhar da plateia, um a um, leve.

Parte I - Amor romântico

Românticos são poucos, românticos são loucos. Desvairados. Que querem ser o outro, que pensam que o outro é o paraíso. Sede de viver, de deixar viver, de fazer viver e de ser feliz. Amor é dom da natureza. (sorriso leve) De repente fico rindo à toa sem saber por quê... (fixa os olhos em alguém da plateia) e vem a vontade de sonhar de novo te encontrar. Foi tudo tão de repente, eu não consigo esquecer. E confesso: tive medo, quase disse não. Olha, quando eu digo que deixei de te amar é porque eu te amo. Quando eu digo que não quero mais você é porque eu te quero. (pega no coração de pano) Eu tenho medo de te dar meu coração e confessar que estou em tuas mãos, mas não posso imaginar como vai ser de mim se eu te perder um dia. Quer saber a verdade? Eu sou louuuuuuca por você. Eu preciso aceitar que não dá mais para separar as nossas vidas. (para outra pessoa) Tudo o que quero... sério! Sério! É todo esse mistério... nem mesmo o céu, nem as estrelas, nem mesmo o mar e o infinito não é maior que o meu amor, nem mais bonito. (pequena pausa) Linda! Só você me fascina. Vem, meu novo amor. Vou deixar a casa aberta. Vem! Conquistar meu mundo, dividir o que é seu. Já escuto os teus passos procurando o meu abrigo. Mil beijos de amor em muitos lençóis, só eu e você. Vem, que o sol raiou e os jardins estão florindo. (à parte) Este é o tempo ansiado de se ter felicidade. (volta para o último interlocutor) Um olhar me atira à cama, um beijo me faz amar. Não levanto, não me escondo porque sei que és minha dona! O seu olhar lá fora, o seu olhar no céu, o seu olhar demora, o seu olhar no meu, o seu olhar, seu olhar melhora, melhora o meu. (olha para outra pessoa) O que há dentro do meu coração eu tenho guardado pra te dar. E todas as horas que o tempo tem pra me conceder são tuas até morrer. E a tua história eu não sei, mas me diga só o que for bom. Um amor tão puro que ainda nem sabe a força que tem. É teu e de mais ninguém. Te adoro em tudo. Quero mais que tudo. Te amar sem limites. Viver uma grande história. Quero dizer pra sempre que eu te mereço, que eu me pareço com o seu estilo. E existe um forte pressentimento dizendo que eu sem você é como você sem mim. Só sei dançar com você e isso é o que o amor faz. Eu sei que vou te amar, por toda a minha vida eu vou te amar. Em cada despedida eu vou te amar. Desesperadamente eu sei que vou te amar. Nunca se esqueça, nem um segundo, que eu tenho o amor maior do mundo. (olha para outra pessoa) Coisa mais linda é você, assim, juntinho você. Eu juro, eu não sei porque você é mais bonita que a flor. Mel, tua boca tem o mel e melhor sabor não há. Besame, besame mucho, como si fuera esta la noche la ultima vez. Você sabe como me fazer feliz...carne e unha, alma gêmea, as metades da laranja. Só você que me ilumina, meu pequeno talismã! Nosso amor não tem segredos, sabe tudo de nós dois e joga fora nossos medos. Estou morrendo de vontade de você. (canta Me Deixas Louca, de Elis Regina) Quando caminho pela rua lado a lado com você me deixas louca. E quando escuto o som alegre do teu riso que me dá tanta alegria me deixas louca. Me deixas louca quando mais um dia, pouco a pouco entardecer e chega a hora de ir pro quarto escutar as coisas lindas que começas a dizer me deixas louca. (à parte) Espero que a música que eu canto agora possa expressar o meu súbito amor... eu nem sonhava te amar desse jeito. (volta a cantar) Quando me pedes por favor que nossa lâmpada se apague me deixas louca. Quando transmites o calor de tuas mãos pro meu corpo que te espera me deixas louca. E quando sinto que teus braços se cruzaram em minhas costas desaparecem as palavras, outros sons enchem o espaço. Você me abraça, a noite passa e me deixas louca. (Volta a fixar alguém na plateia meio sem graça) É que eu preciso dizer que te amo, te ganhar ou perder sem engano. Eu já nem sei se eu tô misturando. Eu perco o sono, lembrando em cada riso teu, qualquer bandeira. Eu sei que te amo! Chega de mentiras, de negar o meu desejo! Eu te quero mais que tudo, eu preciso do seu beijo, eu entrego a minha vida pra você fazer o que quiser de mim. Só quero ouvir você dizer que sim! É preciso amor pra poder pulsar. É preciso paz pra poder sorrir. É preciso a chuva para florir. Sinto que seguir a vida seja simplesmente conhecer a marcha e ir tocando em frente. Todo mundo ama um dia, todo mundo chora um dia e a gente e no outro vai embora. Cada um de nós compõe a sua história. Cada ser em si carrega o do de ser capaz de ser feliz. (dialogando com o coração de pelúcia preso ao peito) Coração, diz pra mim porque é que eu fico sempre desse jeito. Coração não faz assim, você se apaixona e a dor é no meu peito. Pra quê que você foi se entregar se na verdade eu só queria uma aventura? Por que você não para de sonhar? É um desejo e nada mais... (colocando alfinete no coração) Agora agüenta coração, já que inventou essa paixão. Eu te falei que eu tinha medo, amar não é nenhum brinquedo. (recompõe-se, para a plateia) Tenho um coração dividido entre a esperança e a razão. Tenho um coração bem melhor que não tivera... esse coração não aguenta se conter ao ouvir tua voz. Pobre coração, sempre escravo da ternura. Canta coração! Que esta alma necessita de ilusão. Sonha coração, não te enchas de amargura. Me larga, não enche. Você não entende nada e eu não vou te fazer entender. Me encara de frente. É que você nunca quis ver. Me larga, perua! Me deixa, piranha! Me deixa viver. Eu vou viver dez, eu vou viver cem, eu vou viver mil, eu vou viver sem você. Pra rua! Se manda! (canta a abertura de Brigas, de Altemar Dutra) Veja só, que tolice nós dois, brigamos tanto assim... (recompõe-se, para uma pessoa da plateia) Eu só quero que você saiba que estou pensando em você. Tô com sintomas de saudade. Eu te quero tanto bem, aonde for não quero dor. Eu tomo conta de você, mas te quero livre também, como o tempo vai e o vento vem. Eu vivi uma vida que foi cheia. Eu fiz o que tinha que fazer. Eu encarei tudo e continuei de pé e fiz do meu jeito. Eu amei, eu ri, eu chorei. Tive minhas falhas, minha parte de derrotas. E agora como as lágrimas descem, eu acho tudo tão divertido. O importante é que emoções eu vivi. Eu espero que você não se importe que eu tenha colocado em palavras como a vida é maravilhosa enquanto você está no mundo. Só louco! Amar como eu amei.

Parte II – Amor ferido

Só eu sei os desertos que atravessei. Só eu sei. Só eu sei. Sabe lá. O que é morrer de sede em frente ao mar. Nada além. Nada além de uma ilusão. Se o amor só nos causa sofrimento e dor, é melhor (bem melhor) a ilusão do amor. Eu me arrastei e te arranhei e me agarrei nos teus cabelos. No teu peito, teu pijama, nos teus pés ao pé da cama. Sem carinho. Sem coberta. No tapete atrás da porta reclamei baixinho. Dei pra maldizer o nosso lar. Pra sujar teu nome, te humilhar. E me vingar a qualquer preço. Te adorando pelo avesso pra mostrar que ainda sou tua. Que é pra ver se você volta. Que é pra ver se você vem. Que é pra ver se você olha pra mim. Meus olhos lacrimejam teu corpo exposto à mentira do calor da ira. No afã de um desejo que não contraíra. No amor, a tortura está por um triz, mas a gente atura e até se mostra mais feliz. Também não dava mais para tentar lhe convencer a não partir... E agora, tudo bem, você partiu para ver outras paisagens. E o meu coração embora finja fazer mil viagens, fica batendo parado naquela estação. O coração de quem ama fica faltando um pedaço, que nem a lua minguando, que nem o meu nos seus braços. Como é que uma coisa assim machuca tanto? Toma conta de todo o meu ser... é uma saudade imensa que partiu meu coração. É a dor mais funda que a pessoa pode ter. Meu Deus, não! Eu não posso enfrentar essa dor que se chama amor. Vai minha tristeza e diz à ela que sem ela não pode ser. Diz-lhe numa prece que ela regresse porque eu não posso mais sofrer. Chega de saudade, a realidade é que sem ela não há paz, não há beleza, é só tristeza. E a melancolia não sai de mim. Mas se ela voltar, se ela voltar, que coisa linda, que coisa louca, pois há menos peixinhos a nadar no mar do que os beijinhos que eu darei na sua boca. Dentro dos meus braços os abraços hão de ser milhões de abraços apertado assim, colado assim, calado assim. Abraços e beijinhos sem ter fim. Tire o seu sorriso do caminho que eu quero passar com a minha dor. Eu na sua vida já fui uma flor, hoje sou espinho em seu amor. Tive sim outro grande amor antes do teu, tive sim. Mas comparar com o teu amor seria o fim. Eu vou calar, pois não pretendo amor te magoar. Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim. Que nada nesse mundo levará você de mim. Eu sei e você sabe que a distância não existe. Que todo grande amor só é bem grande se for triste. Assim como viver sem ter amor não é viver, não há você sem mim, eu não existo sem você. (pausa) O que me importa seu carinho agora se é muito tarde para amar você? O que me importa ver você sofrer assim se quando eu lhe quis, você nem mesmo soube dar amor!... O que me importa ver você chorando se tantas vezes eu chorei também? O que me importa essa tristeza em seu olhar se o meu olhar tem mais tristezas pra chorar que o seu? Não vou negar que sofri demais quando você me deu um fora, mas o tempo passa, o mundo é uma bola. Eu entrei na academia, eu malhei, malhei! Dei a volta por cima e hoje eu mostrei meu novo amor. Pensou que eu ia chorar por você? Que eu iria morrer de amor? Que eu ia pedir pra voltar?

Parte III – Amor superado

Ah! Se eu tivesse quem me quisesse, esse alguém me diria: “desiste, essa busca é inútil!” – Eu não desistiria... Você disse que não sabe se não, mas também não tem certeza que sim. Quer saber? Deixa vir do coração. Soltar essa louca, arder de paixão. Não há como doer pra decidir. Só dizer sim ou não, mas você adora um se... É... será melhor não procurar um novo amor até saber se o coração já se refez. É... será melhor viver em paz. Eu amei estando só, portanto a solidão não é demais. Se algum dia eu encontrar um novo amor, hei de ter amor pra dar. Amor e paz. (suspira numa pequena pausa) Quando eu me apaixonar será para sempre. Quando eu der meu coração, será completamente. (pausa) Todo mundo de repente ficou lindo, ficou lindo de morrer. Eu hoje estou me rindo, nem eu mesma sei de quê. Se você quiser ser minha...? (suspira) Ai! Romântico é uma espécie em extinção.

(Depoimento final de Vivi)

Olha a plateia como no início, leve.

(tira o coração de pelúcia do peito e entrega a uma pessoa da plateia)

(entra música final: Acabou-se assim, de Zé Manoel)