31.8.11

Pequenos sonhos

Fumou um cigarro barato ao mesmo tempo em que limpou os dentes com fio-dental olhando o reflexo no vidro da lateral do carro. A calçada fedia. O céu estava azul azul, um azul-mar. Ela estava a mar aberto naquela rua, em frente ao mercado público. Pública. Para todo mundo ver. Ela só queria ser feliz.

3 comentários:

Lai Paiva disse...

Adorei isso. Muito. Beijão, meu querido!

Edilson Cravo disse...

Gosto da maneira inteligente como funde as palavras, parece uma grande brincadeira (séria) com as palavras.
Abraços.

Eduardo Araújo disse...

Introdução de um belo romance.