13.9.10

Economia política dos afetos.

Troca-se a sala de estar ou a sala do cinema pelas salas dos chats. Troca-se a rede de dormir pelas redes sociais. E assim o coração vai ficando cada vez mais digital. O amor através de logins e senhas. Oferta-se flores nas janelas do MSN em vez de comprá-las na floricultura da esquina com perfume e presença. Não há contemplação nas janelas das casas. Há dezenas de janelas abertas nas telas dos computadores. Eros através de milhões de pixels, acertando flechas a cada teclada, em cada discurso platônico, cada imagem multifacetada. Hoje não se segue por ruas compridas a fim de que se possa receber um abraço. Segue-se no twitter. Ninguém dá bom dia boa tarde boa noite, mas todos querem ser seu amigo no Facebook, Orkut. Quepassa?