24.8.10

Sinto um deserto imenso aqui dentro

Você pediu e eu te dei. Você foi chegando aos poucos, tapando os combogós, me livrando do frio dos dias. E eu era tão inexperiente, não sabia dizer sim nem não. Segurei em sua mão e não mais quis soltar. Com ela fiz balanço, gangorra, parque de diversões. Meu sorriso largo. Tuas mãos de cachecol. Só você sabia acalmar os ventos fortes. Em qualquer estação, só você. Eu fui querendo permanecer, ficar. Ei, devolve meu coração. Não quero mais ser a fonte esquecida da praça central sem jorrar água.

Adicionar imagem