7.1.10

míope

Enxerga-te no reflexo das lentes dos meus óculos. Onde está quem era você no dia em que apareceu em minha vida? Dá-me tua mão, quero pular dessa ponte-coração e fazer das tripas tripulação. Segura e não solta, não solta e segura. Deixa o vento forte entrar em nossos calções. Vamos virar balão? Pra subir é preciso fogo. Joguemos nossos corpos brasas. Contigo, turbulência é música de ninar, trovão é frevo e chuva ácida é valsa. Tu, fenômeno da natureza. Eu, verbo. vamos conjugar todos os os nossos desejos? Onde está quem era você no dia em que apareceu em minha vida? Enxerga-te no reflexo das lentes dos meus óculos.