30.6.10

Minha primeira saudade na primeira pessoa

Eu me vi no asfalto com dois anos. Eu não sabia o que era saudade e já começava a senti-la. Eu gostava desse vestido do Snoop, das botinhas ortopédicas, dos passeios no parquinho, de andar segurando as mãos de papai e de mamãe e pular poças da água da chuva. Lembro-me de que esse foi o último passeio. Papai me abraçou bem forte escondendo a chuva dentro dos olhos, mas eu vi tudinho com meus olhos de guarda-chuva.
_
*Fotografia e Photoshop de Luis Fabiano Teixeira.

3 comentários:

Luis Fabiano disse...

Cleyton, o que eu posso falar? Tá lindo. Tudo. O texto miudinho como a criança, doce, singelo... Parabéns! Viu? Não fui tão exigente e em 10 minutos saiu uma pequena-grande-obra-prima. Abração

Sentimentalidades-Todas disse...

Concordo com o Luis, é de um singeleza e ao mesmo tempo tão intenso esse texto...
Sem saber exatamente porque, uma chuva quis se aproximar. Emocionante!!!

Abraços,
Mônica

Lilian Borges Poesia disse...

De uma pureza e simplicidade
muito genial...

conquistou-me