19.3.10

presente de aniversário

Hoje quando caminhava para a agência vi algo que nunca mais tinha visto. Uma borboleta, quer dizer, duas. Amarelas, bailando no ar, assim na minha frente. Eu era o único espectador naquele momento e fiquei feliz. Não por ser o único contemplado, mas por ter visto aqueles insetos no dia que ganho nova idade: ¼ de século e eu não sou mais larva. A crisálida vida já me preparou para voar. Mesmo que algumas vezes eu bata as asas na hélice do ventilador, que alguém atire uma pedra com baleadeira por maldade, ou até mesmo, que eu escolha voar por jardins envenenados. Em alguns momentos, erros fazem sentido. Eu ouvi isso uma vez e para mim faz todo o sentido porque escolhi viver a vida com a minha verdade: ora acertando, ora errando, mas sempre querendo acertar.

10 comentários:

Anônimo disse...

O que posso dizer diante dos caminhos inteligentes de suas palavras. Sinto-me numa casa de taipa,desposta a construir uma casa na árvore pra ler tudo que você, escreve,fala...soletra...

Parabéns meu lindo

Rossana disse...

O que posso dizer diante dos caminhos inteligentes de suas palavras. Sinto-me numa casa de taipa,desposta a construir uma casa na árvore pra ler tudo que você, escreve,fala...soletra...

Parabéns meu lindo

Rossana disse...

aaaa...fui eu a anônima....me botei agora....kkkk....

Isabella disse...

Enquanto você voa pelos jardins afora, embarcamos nas suas histórias. Parabéns pelo dia e pelo talento, Deus te abençoe!

Mikaele Tavares disse...

É tão bom admirar a natureza, a alma se acalma.

Gostei da frase:"Em alguns momentos, erros fazem sentido."

Elton Menezes Severo disse...

Cada voo é um ensinamento.
Cada pouso é um aprendizado.
Cada arranhão na asa é uma construção.

RÔ_drigo disse...

Dizem que da sorte!
E vai dar sim honey;]]
Pelas fotos q vi deu pro sr comemorar bastantão né??Vc merece=)

Tatiana Lazzarotto disse...

Que bonitinho!
Quando fala em borboletas amarelas, eu sempre lembro do Maurício Babilônia, personagem do Cem Anos de Solidão... Automaticamente me vem trechos do livro na cabeça.
E você só tem 25, gênio? Noviiinho! Hehe
Beijo

Luna Freire disse...

Não teriam sido as borboletas amarelas de Gabriel García Márquez, em "Cem anos de Solidão"?... Não... ainda te falta muito tempo para tanto. Mas é bom saber que as asas andam a te rondar. Parabéns!!! "Xêro"

.lucas guedes disse...

parabéns (atrasado)!

abs.

.