12.5.09

Santa & Paciência.

(Paciência está dentro do box tomando banho. A porta do banheiro está aberta. Santa está encostada na entrada)

SANTA – Eu não consigo.
PACIÊNCIA – É normal.
SANTA – Normal? Até quando meu Deus?
PACIÊNCIA – Quando menos esperar vai vir.
SANTA – Assim do nada?
PACIÊNCIA – Você precisa explorar.
SANTA – já tentei de tudo. Se meus dedos falassem, eles seriam tagarelas. Porque o que eles já sofreram lá dentro...
PACIÊNCIA – Não me dei com esse xampu. Antes eu tivesse comprado o para cabelos tingidos.
SANTA – Me dá umas dicas amiga.
PACIÊNCIA – Ah, tem o de lanolina... e aquele de reparação...
SANTA – Não. Falo dicas pra conseguir lá o negócio.
PACIÊNCIA – Ah, você tem que se tocar.
SANTA – Que isso? Está me tirando?
PACIÊNCIA – Como assim? Ai, entrou xampu em meus olhos.
SANTA – Você mandando eu me tocar.
PACIÊNCIA – Seu corpo, tocar. Ai, está ardendo.
SANTA – Já disse. Já toquei tanto que se tivessem cordas sairia um rock.
PACIÊNCIA – E brinquedinhos?
SANTA – Como assim?
PACIÊNCIA – Objetos, coisinhas.
SANTA – Você é louca?!
PACIÊNCIA – Anrãm.
SANTA – Só se eu pegar as Barbies da minha irmã.
PACIÊNCIA – Ah, têm tantas outras coisas.
SANTA – Nem com chuveirinho eu consegui...
PACIÊNCIA – Porta-escovas de dentes!
SANTA – Hã?
PACIÊNCIA – Já testou com porta-escovas de dentes?
SANTA – Não.

(Paciência termina o banho, enxuga-se e deixa a toalha prendendo os cabelos. Sai do box, enxuga os pés no tapete. Santa olha pelo espelho. Paciência pega o porta-escovas de dentes, tira a escova, põe creme dental e escova seus dentinhos brancos. Santa apenas olha.)