5.5.09

Um tio ainda me chama de “fofão” quando me vê • Outro me chamava de “Cara de poeta” • Fui um pestinha na escola, em casa e na rua • Já fiquei de castigo • Queria ser professor de ciências, dentista, ortopedista, psicólogo e repórter e hoje sou publicitário e ator • Passava as férias no interior • Nunca fiquei para a final nas provas • Era o “queridinho” nas aulas de artes • Matemática não entrava na minha cabeça • Já fui fã da Xuxa • Já me correspondi por cartas com dezenas de pessoas aos 14 anos • Dançava como ninguém nas festas • Comia leite com Nescau no copo • Brincava na rua • Não gostava de tomar banho • Tinha medo de injeção • Escrevi um livro, mas não o publiquei • Fiz minha primeira apresentação no Teatro aos doze anos • uso óculos de grau desde pequeno • Já quebrei o pé três vezes • Já me operei de hérnia • Já sofri acidente de trânsito • Ia ser devorado por jacarés no Zoológico, não fosse um cara que me puxou, lógico • Pegava bombons de Cosme e Damião • Eu deveria estar na seleção brasileira de vôlei (será?) • Sempre tive os olhos puxadinhos • Já apanhei com cipó de goiaba • Brincava de pinga-pinga com plástico queimado • Tinha medo do escuro e via “fantasmas” frequentemente dentro de casa • Já frequentei igreja protestante • Fiz primeira comunhão, me crismei mas não quis ser padre • Já frequentei centros espíritas • Tenho uma cicatriz de artes na infância • Sou o artista da família • Sempre fui magrelo • Fui Jonh Lennon na escola • Já fui Harry Potter • Uns me acham parecido com o Clark Kent [risos] • Também pareço com o wally • Alguns me chamam de Japa, outros de Cleytudo • Fiz um bocado de peças • Escrevo poesias • Sempre fui palhaço • Tenho muitos amigos, graças à deus • Já fiz cursinho e é um saco • Não falo inglês • Converso com surdos • Adoro abraçar • As pessoas pensam que estou com pernas de pau • Adoro ler e escrever • Me acabo em brigadeiro • (e tantas coisas para aprender).