31.3.09

Bem-me-quer-bem, mal-me-quer-mal.

Atendeu o telefone que não tocou e ensaiou um diálogo:

- Bem, se mal te perguntes, ainda me queres?
- Podemos tomar algo, uma cerveja ou um licor.
- Prefiro a embriaguez dos teus lábios.
- Podemos ouvir um jazz ou um blues.
- Prefiro a valsa dos teus abraços.
- Podemos fazer uma viagem à praia ou ao campo.
- Prefiro me perder na geografia do teu corpo.

E o telefone tocou de verdade, era seu pai:

- Alô?
- Oi filha, você está bem?
- Tomei uma dose de licor de chocolate, ouvi quatro ou cinco músicas da Billie Holiday e apanhei umas estrelas na prainha dali.
- Comprei uns discos pra você.
- Ok.
- Você está bem?!
- Tomei uma dose de licor de chocolate, ouvi quatro ou cinco músicas da Billie Holiday e apanhei umas estrelas na prainha dali.