29.1.09

Indigesto

Depois do almoço eu te comi de sobremesa, porque o pavê de sonho de valsa estava na minha boca, mas era em você que eu pensava. Passei a língua na borda da tigela e fui circulando, quando completei o círculo te devorei com fome de leão, como formiga em açúcar. Depois enjoei do teu doce, acendi um cigarro e te esqueci.