31.12.09

Feliz

Eu nasci há vinte e quatro anos atrás. E têm muitas coisas nesse mundo que eu preciso saber mais. Estou disposto a errar, aprender, tropeçar e levantar. Se tiver de chorar, sorrir, sonhar, perder ou ganhar eu não irei me acomodar. Quem me conhece bem sabe, e quem conversa comigo dez minutinhos, também. Quando eu quero muito uma coisa eu consigo. Isso vai além do querer, da persistência, da batalha. Isso faz parte de minha essência. E assim vou juntando essas vontades de ser sempre melhor em tudo que faço, ambição de quem não se contenta com o mínimo, com o lugar-comum, porque eu sou grande e sei que posso ser maior. Sem pisar em cima de ninguém, porque esse é meu mantra todos os dias. Gostaria de agradecer a todos que convivem comigo, que me aturam, que acreditam nos meus sonhos mais bobos, e nos mais sérios, aos que me leem, me ouvem, me fitam, aos transeuntes. E que essa vivacidade de Peter Pan nunca se apague em mim.

Feliz último dia de 2009, feliz dois mil ideias.

Cleyton Cabral.

29.12.09

com uma mão na frente e outra atrás

Largou o cigarro, largou a namorada, largou o emprego e foi viver de samba. Tocou Cartola, tocou Vinícius, tocou punheta e tocou a vida. Comprou umas brigas, comprou um Fusca e comprou um folheto de cordel que falava das coisas boas desse mundo. Ligou a tevê, ligou o pc e ligou uma história na outra. Cuspiu o medo, cuspiu a sorte, cuspiu fogo e cuspiu no prato que não comeu. Comeu cuscuz, comeu o juízo e comeu o pão que o diabo amassou. E ele só queria ser feliz.

25.12.09

você vive ou sonha?

A vida é feita de sonhos. Você já deve ter lido ou escutado isso de alguém. Mas você vive ou sonha? Se você vive tem um objetivo, e se tem um objetivo tem disposição, com disposição há fé e com fé há coragem. Então você sonha! Não é o máximo isso? Sonhar é estar vivo e estar vivo é poder trocar experiências, desatar laços, aprender e ensinar, partilhar de momentos inesquecíveis com gente pequena e gente grande. Feliz Natal e um 2010 GRANDE. De grandes ideias e grandes laços.
Cleyton Cabral.

23.12.09

ice love

- Amor, vamos fazer amor?
- Acabei de tomar sorvete, benzinho.
- Você está muito frio.

9.12.09

Um amor que morreu na praia

Domingo. Sunga cheia de peixinhos coloridos. Balde e pá de plástico coloridos. Sorrisos coloridos. Era assim a infância aos domingos: colorida. E se você acha louco isso de dar cor a um sorriso, e ainda mais, dar várias cores a um sorriso, você que é louco, caro leitor. E não vou explicar como é um sorriso com cor, preto e branco ou colorido, por favor. Imagine apenas e pronto. Domingo. Corpos meninos, canelas, cabelo de macarrão, água salgada, beijos doces. Corpos Cais, nenhuma bússola. Estrelas-do-mar, picolé de morango, cocada com leite condensado, castelo de areia, ondas do mar. Domingo. Esperar chegar o domingo. Areinhas. Segredos pérolas, amores tubarão. Os domingos não existem mais. Segunda. Terça. Quarta. Quinta. Sexta. Sábado. Pula a onda, marinheiro só.