27.10.09

verbo.

Se te amava, te amei.

Se te queria, te quis.

Se te tinha, te tive.

Fui mudando os tempos verbais como quem muda de roupa. E se eu não soube te amar, me perdoe. Meus pais não me ensinaram isso, nem a escola oferecia matéria de coração. A vida que é sábia há de me ensinar, cedo ou tarde. E vou me empenhar para não ficar em recuperação. Como estudante aplicado, de amor quero só notas azuis, boletim cheio de acertos. Mas errar é humano, né?

7 comentários:

Juliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juliana disse...

Se tivesse aula de amor na escola, num ia dar certo... porque amor sempre deixa a gente mais burro!

Adriana Gehlen disse...

sempre!

concordo com a Ju
haha.

belo post.

Daniel Cisneiros disse...

Mode "auto-biográfico" On?
^^

Juliana Cruz disse...

uhun, e acertar tbm.

Eduardo Araújo disse...

notas azuis, nunca pensei que isso soasse tão poético

Eduardo Araújo disse...

E o comment da Juliana é uma obra prima