30.10.09

Rios e risos.

Rio. Rio Capibaribe, rio Tigre, Rio de Janeiro. Rio desse teu jeito vil. Rio da dor, rio de águas mansas, Rio do Arpoador. Rio de mim, só rio, rio de ti viu? Sorrio.

29.10.09

Cleytudo Buarque de Holanda

Samba-canção: a cabeça de baixo não pensa, nem canta. Só se ergue.
Amador: profissional que odeia a felicidade.
Licor: o cego lê com os olhos do ouvido.
Porta-retrato: você mais que 3x4 no olho mágico.
Ginástica olímpica: massagem ao ego nas alturas. Amém.

28.10.09

Santa & Paciência (diálogo IV)

SANTA – Então... estou toda dolorida.
PACIÊNCIA – Pegou muito sol ontem?
SANTA – Não, aquelas posições que você me falou.
PACIÊNCIA – É que você era acostumada com De Quatro e Papai e Mamãe. São básicas.
SANTA – A mulher sentada por cima do cara que é superbásica.
PACIÊNCIA – assim como o Frango Assado, normalzinha.
SANTA – Frango assado é bom, mas dói né?
PACIÊNCIA – O negócio é Kama Sutra, já dei o toque.
SANTA – Tem umas posições esquisitíssimas.
PACIÊNCIA – Ah, paciência! Tem uma bem legal. O homem por cima e a mulher cruza as pernas envolta das costas do cara.
SANTA – Você é uma danadinha. Anal eu não consigo. Já tentei com dois caras e vi que essa posição não é minha. Dói e sentindo dor não rola.
PACIÊNCIA – No começo até dói, mas depois passa.
SANTA – O Jairo deve pirar contigo... ele geralmente chega essa hora né?
PACIÊNCIA – É amiga, vou entrar, ainda irei preparar comidinha. Depois a gente bota o papo em dia.

(dois beijinhos: Mummmmmm-ráááááá, Mummmmmm-ráááááá)
____
Quem quiser acompanhar os diálogos de Santa & Paciência, podem achar os outros textos pelo blog, ou deixa o e-mail que mando.

estado

Frenético.
Catártico.
Kamikazi.
Ritmo de terreiro de macumba e silêncios do corpo de Cristo no céu da boca.

27.10.09

verbo.

Se te amava, te amei.

Se te queria, te quis.

Se te tinha, te tive.

Fui mudando os tempos verbais como quem muda de roupa. E se eu não soube te amar, me perdoe. Meus pais não me ensinaram isso, nem a escola oferecia matéria de coração. A vida que é sábia há de me ensinar, cedo ou tarde. E vou me empenhar para não ficar em recuperação. Como estudante aplicado, de amor quero só notas azuis, boletim cheio de acertos. Mas errar é humano, né?

26.10.09

caixa de entrada.

Hoje logo cedo abri minha caixa de e-mails. Ela dizia nas primeiras linhas: “Saudades de nossos chás, dos cigarros e das nossas confidências. Eu abrindo o portão pra você entrar, gigante. Quantos sorrisos soltos entre latidos e cantos de cigarras. Aqui é uma festa só, fumo uns escondidos e vez ou outra tomo uma pinga, né? Gigante, passeia com meus cães. Beijinhos”. Hilda Hilst.
Ganhei o dia.

22.10.09

Como ser bonzinho em 5 passos em meio às malandragens da vida.

Passo 1 – Quando você sentir que alguém está querendo lesar a sua verdade, dê um sorriso bem grande que ela mesma saberá para onde ir. E o melhor: pra longe de você.

Passo 2 – Aquela pessoa que diz querer algo com você e que, de fato você estava investindo, não está te dando bola? Experimenta dar o estádio inteirinho pra ela.

Passo 3 – Quando você estiver naquele ônibus lotado, cheio(a) de pacotes e cadernos e livros, em pé, parecendo a última sardinha da lata, e a pessoa que está na sua frente sentadíssima, ouvindo músicas no MPnãoseiqualnúmero como se nada tivesse acontecendo, como se você fosse um(a) equilibrista e nem nem pra segurar por favor seu caderninho, sua mochila azul-petróleo ou a sacola de pão, você abre aquele biscoito recheado de-li-ci-o-so e oferece pra ele(a) com a maior cortesia.

Passo 4 – Você está no trânsito, no carro ou no ônibus, e chegam meninos de rua (crianças mesmo) entregando papeizinhos com textinho dramático e persuasivo “Estou aqui pedindo uma ajuda pra comprar comida pros meus irmãos porque meu pai não trabalha e minha mãe tem sete filhos pra criar”. Tem quem fique chocado, é claro, a situação não é fácil. Aí você diz pra criança que vai escrever um bilhete pra ela entregar aos seus pais, se eles não sabem ler, que peçam a alguém para fazê-lo. Arranque uma folha de caderno e escreva “Papai e mamãe, por que vocês não saem às ruas para batalhar o pão de cada dia? E em vez de colocarem as crianças para pedirem, não levam elas à escola ou deixam em casa brincando?”.

Passo 5 – Quando alguém lhe fizer muita raiva, não desperdice energia brigando ou gastando saliva. Se recomponha, vá pra casa, e no momento que você estiver fazendo seu cocôzinho, pense calmamente, mande ela tomar no cu, em pensamento e dê descarga.

21.10.09

& tudo começou quando o telefone tocou & eu disse alô & a voz do outro lado convidava pra tomar um chopp & jogar conversa fora & respondi com um sonoro sim & combinamos dele vir me pegar às dez & tudo que eu pensava durante a ligação era a minha cara de desinteressada & a dele de lobo mau guloso & tantas outras coisas & tal & coisa. Nove e cinquenta & nove eu já tinha borrifado o perfume que ele gostava de sentir pela décima quinta vez & minha mãe reclamava & dizia que o perfume era de macumba & que um batom vermelho escarlate era de puta. Foda né? Ele chegou às dez & quinze & levou a sério que se atrasar uns minutinhos é elegante & eu já tinha ruído as unhas de todos os dedos & o salto já doíam as batatas & eu entrei no carro & depois eu termino essa história ok?

20.10.09

Toma!

Você passou esse tempo todo pedindo, implorando. Que se eu te desse, você saberia o que fazer, tomaria conta, cuidaria. Olha a responsabilidade, hein? Não é para qualquer um. E você disse que não era qualquer um, que era O cara. Assim mesmo: O cara com ó maiúsculo e em negrito. Mapeoou todas as estratégias para chegar até mim. Não brinca comigo, hein? Você dizia – relaxa – okay estou relaxado. Re-la-xa-dís-si-mo. Mas evitei uma aproximação maior. O mínimo de esforço foi te ouvir e te olhar. Você quase aos meus pés, como se eu fosse um santo ou um popstar. Para com isso! Mas você disse que era reverência mesmo, que era para eu ser seu, que eu podia ser somente seu, que estava escrito. Tudo bem, eu vou dar um crédito. Toma esse meu músculo de 400 gramas e vivo e vermelho e pulsante. Olha a responsa, hein? Estou falando sério.

19.10.09

Eu juro.

Juro pelo que tem de mais profano, que quando te vi, partes de mim pulsaram, como querendo te alcançar. Juro que tentei segurar, mas num ímpeto, a seta já apontava o céu. Juro que deu vontade de puxar teus braços. Juro que queria tuas mãos, tuas costelas nas minhas e o meu corpo no teu. Juro que te amaria. Com direito a vinhos e passeios e outras esquisitices. Juro. Juro. Juro.

13.10.09

mamo_grafia.

Tá escrito em meu peito, lê: eu te quero. Bem sabes que o espaço entre meus mamilos é travesseiro ortopédico para receber o teu peso. À espanhola, teu membro, teus medos, teu calar de palavras. Por razão ou loucura, cubro o meu peito pro mundo e descubro só para ti. Só tu podes vê. Os ossos da tua face dialogando com o meu esterno, nossos ossinhos em sintonia. Exercício para o interno a partir do esterno, daquele osso sobre o coração. Não lê?

8.10.09

Para Aparecida, que apareceu e já faz parte.

Eu quero um samba que me sacuda
porque esse tempo não está fácil
é um Deus nos acuda.

É neguinho pisando na bola
passando por cima e
contando vantagens.

Eu só quero letra e poesia
riscar minhas canções por aí
cantar o amor e chegar em você

Me espera que estou chegando
pra gente rir da vida e viver de samba
me leva nos braços por aí...

1.10.09

li.ga.ção

s.f.1. Ato ou efeito de ligar; ligadura, ligamento.

- Oi, tudo bem?
- Tudo bem e você?
- Indo.
- Pra onde?

(desligou o telefone)

2. Junção, união.

Depois da pergunta do Padre, ele disse o sim querendo dizer não, nunca, jamais. Aquela argola dourada no dedo da mão esquerda seria como uma prisão em regime fechado.

3. Conexão.

Bonequinho verde e bonequinho azul dançam agarradinhos girando no mesmo eixo. (Online)

4. Coerência.

Aquela relação não tinha nexo, mas tinha sexo incoerente.

5. Laço, vínculo, relação entre pessoas.

Interesses: pele, pensamento, ideias, ideais, energia, aceitação, carência, promoção?

6. Convívio sexual; amasio, concubinato.

- Pega aqui. (pausa) No meu pau não. Eu disse aqui no meu peito.
(tinha o sexo a flor da mão)