10.12.08

Na mídia, na moda e na merda.

É dezembro. O mês em que as academias de ginásticas estão superlotadas e coisa e tal. Os boyzinhos já estão “puxando ferro” para tirar a camisa no carnaval e exibir seus monstruosos bíceps, tríceps, costas extralargas, barrigas de tanquinho e na maioria das vezes, as pernas finas e nenhum músculo na cabeça. Sim, porque o objetivo é “tirar a camisa” na folia e colecionar bocas, quanto mais bocas, melhor. Não se trata de qualidade, e sim, o saldo no fim do dia: beijei 25, beijei 12... e acaba transformando muitos sapos em princesas e vice-versa. Além da probabilidade de pegar muitos sapinhos. Ueber!
Conversando com meu dupla aqui da agência, chegamos a conclusão de que muitas meninas da nossa idade curtem isso mesmo: músculos. Que elas estão mais preocupadas em “estar na mídia” – acompanhadas de seus brotossauros na balada. Outra palavrinha mágica em seus mundos: balada. Porque a tendência do momento é saber qual a balada da noite, essas coisas. E a qualidade cada vez mais se perde, e as chances de ter um guarda-roupa mudo é bem grande. Não botando pra fudê no meu time mas que é vergonhoso é. Os caras só malham o corpo porra, vão ler um livro, nem que seja o zodíaco, para pelo menos ter o que discutir com a gatinha no barzinho. E pode até apimentar uma paquera: qual seu signo? Touro? Nossa gatinha, sou escorpião com ascendente em touro, não que eu acredite em signos, mas róla umas energias cósmicas e tal e coisa. Muitos não querem ter o que conversar e acabam ficando na “mídia, na moda e na merda”, como diz uma amiga da faculdade.