16.9.08

dos maremotos.

Caminho sem sandálias. Às vezes dói pisar nas pedras. Mas muitas vezes me sinto confortado ao pisar na areia da praia. Meus pés se adaptam à densidade dos blocos de areia e a água passeia por entre os dedos trazendo sal e levando um pouco de mim pro fundo do mar.
Lá, os peixes brincam de roda com as conchas, as algas bailam a música feita pelas estrelas-do-mar.
E continuo seguindo, com areia e sal, pulando ondas e desviando dos ouriços.