29.5.08

a-a-a-a-a-a-tchim!

O homem suspendeu a mão no ar, em frente ao rosto e ficou. Isso me chamou a atenção, porque pensei que ele fosse espirrar. Esperei para ver. Deveria ser um estrondo. Daí, ele pressionou os dedos polegar e indicador da mão direita sobre os olhos. Pensei: ele não está se sentindo bem, e estava num cruzamento, pronto para atravessar, isso poderia ser muito perigoso. Cheguei perto do cara. Você quer ajuda? Aí ele já estava chorando, as lágrimas caindo como numa cachoeira. Ele: não, obrigado. É só conjuntivite, vou comprar remédio ali no Bompreço. Fiquei preocupado, juro. Pensei até que ele poderia se jogar na frente de um carro, porque conjuntivite não era não. Uma garota que esperava atravessar a via percebeu o lance e soltou: se não foi gaia, foi demitido do trabalho. Vai saber.